Home/Artigos / Setembro Amarelo – A atuação do profissional da saúde na prevenção ao suicídio.

Setembro Amarelo – A atuação do profissional da saúde na prevenção ao suicídio.

6 de outubro de 2016

As tentativas e as consumações de atos suicidas são uma realidade na prática do profissional de saúde.

De acordo com dados da OMS, em 90% dos casos de suicídio, o indivíduo sofre de uma perturbação psiquiátrica. Entre as causas descritas, observamos:

1) Histórico de transtornos psiquiátricos como bipolaridade, depressão e transtorno de personalidade.

2)  Histórico de violência física, psicológica ou sexual.

3) Situação de privação de atenção social principalmente dos familiares.

4) Desejo de acabar com o sofrimento emocional.

Há portanto, na atuação com o paciente psiquiátrico, a necessidade de oferecer  orientação aos seus familiares e amigos, buscando a abordagem adequada para psicoeducação e prevenção. Atender o paciente potencialmente suicida e seus familiares é uma responsabilidade multiprofissional, que necessita compreensão e solidariedade com o pedido de socorro daquele que atentou ou poderá atentar contra a própria vida. O respeito pela dor do paciente e pelo sentimento de culpa que acompanham os familiares é fundamental. Compreender a pessoa que tenta suicídio passa pelo respeito e compreensão do ser humano.

Além do cuidado com os pacientes, é preciso atuar na evitação. A conscientização sobre o suicídio não resulta somente na prevenção e preservação da vida, mas também na redução de sofrimento para todos os envolvidos, inclusive os próprios profissionais.

unica-d

Elke do Pilar Nemer Pinheiro, Carolina Batista e Yara Luiza Braguínia são psicólogas da clínica psiquiátrica UNIICA – Unidade Intermediária de Crise e Apoio à Vida.

Compartilhe